PRINCIPAL    EQUIPE    LIVRO DE VISITAS    LINKS    ARQUIVO DE ATUALIZAÇÕES    ARQUIVO DE COLUNAS    CONTATO

UNIDOS DO PORTO DA PEDRA

UNIDOS DO PORTO DA PEDRA

 

FUNDAÇÃO  08/03/78
CORES  Vermelho e Branco
QUADRA  Avenida Lúcio Tomé Feteira, 290
Bairro Vila Lage - São Gonçalo
Telefone: 3707-1518
Fax: 2605-2984
BARRACÃO  Rua Rivadávia Correa, 60
Barracão 06
Cidade do Samba - Gamboa
20220-290
Telefone: 2203-2705
Fax: 2291-9449
SÍMBOLO Tigre

RESULTADOS - SAMBAS-ENREDO

HISTÓRICO

O Grêmio Recreativo Escola de Samba Unidos do Porto da Pedra tem suas origens no antigo Porto da Pedra Futebol Clube, entidade que, nos anos setenta, já usando as cores vermelho e branco, reunia moradores do bairro Porto da Pedra, em São Gonçalo. Entre os integrantes do pequeno clube de futebol surgiu a idéia de formar um bloco de arrastão, que desfilou em 1975 e 1976 pelas ruas da cidade com imenso sucesso. Tanto que em 8 de março de 1978, adquiria personalidade jurídica e transformava-se em Bloco de Enredo. Assim surgia o B.C. Unidos do Porto da Pedra, que teve como seu 1º Presidente o Sr. Haroldo Moreira e ainda como fundadores os Srs. José Carlos Rodrigues, José Paulo de Oliveira Chaffin, Jorair Ferreira, Jorge Brum e Nilton Belomino Bispo. Em 1981, alcançou a categoria de escola de samba. Desfilando no Grupo B, de São Gonçalo, a escola obteve o vice-campeonato com o enredo "Mundo Infantil". No ano seguinte, passou ao Grupo A, e com o enredo "No Reino da Fantasia" conquistou sua primeira vitória como escola de samba.

Em 1983, não houve carnaval em São Gonçalo. A Porto da Pedra retornou à passarela do município em 1984, com o enredo "Domingo na Praça", obtendo o vice-campeonato. Entre os anos de 1985 e 1992, a agremiação optou por se apresentar somente em seu bairro de origem, por dificuldades em se expandir para fora do município.

No início dos anos 90, a Agremiação já ensaiava em uma quadra coberta porém pequena para suas expectativas. No ano de 1993, empresários vieram dar sustentação à escola. Os planos eram fazê-la retornar ao desfile oficial de São Gonçalo. Porém, graças à ajuda do cantor e compositor Jorginho do Império, a Porto da Pedra recebeu um convite para se apresentar no Grupo de Acesso do Rio de Janeiro, que nessa época ainda desfilava na Avenida Rio Branco.

É nessa ocasião, que a logomarca do tigre como símbolo oficial da escola é criada e que se inicia também a construção da quadra de ensaios, inaugurada em 1994. Assim, com o enredo "Um novo sol do amanhã", no mesmo ano, a escola de São Gonçalo pisa pela primeira vez na Passarela do Samba do Rio de Janeiro, obtendo o vice-campeonato no Grupo de Acesso e passando para o Grupo A, pulando os grupos inferiores. No ano seguinte, com o enredo "Campo Cidade, em busca de felicidade", se classifica em primeiro lugar, passando para o Grupo Especial. Em 1996, trazendo o enredo "A folia do mundo - um carnaval dos carnavais", permanece no grupo de elite, ficando em nono lugar e ganha o prêmio Estandarte de Ouro de escola revelação pelo belo e surpreendente desfile apresentado pela escola.

No ano seguinte, a agremiação volta a brilhar desfilando com o enredo "No reino da alegria, cada louco com sua mania", obtendo o quinto lugar, participando assim do desfile das campeãs. No ano de 98, no entanto, a história foi outra: quando todos já estavam certos de que a escola tinha vindo para ficar no Grupo Especial, acaba como a última colocada apresentando o enredo "Samba no pé e mãos ao alto, isto é um assalto!", sendo rebaixada para o Grupo A.

Em 1999, volta a tentar o Grupo Especial, e com o enredo "E na farofa do confete, tem limão, tem serpentina", consegue um vice-campeonato que a coloca novamente entre as grandes. Em 2000, porém, sofre um novo rebaixamento, com o enredo "Ordem e Progresso, amor e folia no milênio da fantasia". Retornando em 2001 ao Grupo de Acesso, a Porto da Pedra reage e, com o enredo "Um sonho possível, crescer e viver agora é lei", conquista outra vitória, voltando novamente ao Grupo Especial. Foi uma fase de escola ioiô, onde a escola subia para o Especial e caía no ano seguinte.

De 2002 a 2012, o Porto da Pedra permaneceu no Grupo Especial em sua maior sequência na elite do carnaval carioca. De 2002 a 2004, com enredos sobre "Petrópolis", "Os Donos da Rua" e "A Evolução da Comunicação", a agremiação de São Gonçalo sempre conseguiu a 11ª colocação. Em 2005, com a reedição do enredo "Festa Profana" da União da Ilha de 1989, a escola realizou um belíssimo desfile e terminou na sétima colocação. Acabou impossibilitada de participar do Desfile das Campeãs devido a uma injusta nota 7,6 dada pela jurada Ana Bernacchi no quesito Alegorias e Adereços. O rebaixamento ocorreria em 2012, depois de um inusitado enredo sobre a história do iogurte não empolgar o público.

A Porto da Pedra, atualmente, é a única representante do município de São Gonçalo que desfila na cidade do Rio de Janeiro.

RESULTADOS DA ESCOLA

1979

Festa Junina - São Gonçalo

 

1980

Estações do Ano - Desfile em São Gonçalo

 

1981

No Reino da Fantasia - Desfile em São Gonçalo

 

1983

Domingo na Praça - Desfile em São Gonçalo

 

1994 - 2ª no Grupo SS

Novo Sol do Amanhã

 

1995 - 1ª no Grupo A

Campo Cidade em Busca da Felicidade

Mauro Quintaes

 

1996 - 9ª no Grupo Especial

A Folia no Mundo - Um Carnaval dos Carnavais

Mauro Quintaes

 

1997 - 5ª no Grupo Especial

No Reino da Folia, Cada Louco com sua Mania

Mauro Quintaes

 

1998 - 14ª no Grupo Especial

Samba no Pé e Mãos ao Alto, Isto é um Assalto

Mauro Quintaes

 

1999 - 2ª no Grupo A

E na Farofa do Confete, tem Limão, tem Serpentina

Gilberto Muniz

 

2000 - 14ª no Grupo Especial

Ordem e Progresso, Amor e Folia no Milênio de Fantasia

Jaime Cesário

 

2001 - 1ª no Grupo A

Um Sonho Possível ! Crescer e Viver ! Agora é Lei !

Cahê Rodrigues

 

2002 - 11ª no Grupo Especial

Serra Acima, Rumo a Terra dos Coroados

Cahê Rodrigues

 

2003 - 11ª no Grupo Especial

Os Donos da Rua. Um Jeitinho Brasileiro de Ser

Mário Borriello

 

2004 - 11ª no Grupo Especial

Sou Tigre, sou o Porto, da Pedra à Internet: o Mensageiro na História da Vida do Leva e Traz

Alexandre Louzada

 

2005 - 7ª no Grupo Especial

Carnaval - Festa Profana

Alexandre Louzada

 

2006 - 12ª no Grupo Especial
Bendita és tu entre as Mulheres do Brasil
Cahê Rodrigues

 

2007 - 10ª no Grupo Especial
Preto e Branco à Cores
Milton Cunha

 

2008 - 11ª no Grupo Especial
100 anos da Imigração Japonesa no Brasil - tem Pagode no Maru
Mario Borrielo

.

2009 - 10ª no Grupo Especial
Não me proíbam criar, pois preciso curiar! Sou o país do futuro; tenho muito a inventar...
Max Lopes

.

2010 - 10ª no Grupo Especial
Com que Roupa eu vou... Pro Samba que você me Convidou
Paulo Menezes 

2011 - 8ª no Grupo Especial
O Sonho Sempre vem pra quem Sonhar
Paulo Menezes 

.

2012 - 12ª no Grupo Especial
Da seiva materna ao equilíbrio da vida
Jaime Cezário

SAMBAS-ENREDO

1994

ENREDO: O Novo Sol do Amanhã
AUTOR(ES): ???

Renasce
A minha escola mais querida
E deixar feliz da vida
Aquele que lhe deu a mão
Hoje corre no seu corpo um sangue novo
Faz sorridente este povo
Que tanto lhe guardou no coração

Eu já não sinto saudade
A tristeza foi embora (bis)
Felicidade no peito
Uma emoção que chora

Carnaval
Contigo passam os anos
Reunidos aqui estamos
Numa alegria sem fim
Vejo a minha escola majestosa
A mais bela dentre as rosas
Que novamente floresceu no meu jardim
Um novo sol do amanhã
Iluminará nosso destino
Anunciam os arautos
O tigre está no asfalto
Num sonho que ainda é menino

De vermelho e branco
Vou sambar (bis)
Meu coração está em festa
Porto da Pedra é meu lar

1995

ENREDO: Campo Cidade - Em busca da felicidade
AUTOR(ES): Elmo Borges, Oswaldo Barba, Zacarias e Jorge Quentinho

Quanta beleza há no campo
Um sonho amplo faz a gente almejar
A tranqüilidade da terra
O cheiro de serra espalhando no ar
A manhã tão fagueira
Boa cozinheira aguçando o paladar
Tira leite da mimosa e abelha faz o mel
Pescador pra contar prosa
Fala que pescou xaréu

Vai o sol levando o dia
Espantalho fá na roça (bis)
Violeiro e poesia
No terreiro da palhoça

Cidade, desperta ao balanço das horas
E sedutora nos devora com sua agitação
O correr do dia-a-dia
A gente alivia com pizza e televisão
Final de semana, tiro uma onda no mar
O Maraca me espera
Lá vou eu com a galera
Ver o meu time ganhar

Porto da Pedra é paixão
Misto de felicidade
Somos tigres e tigresas (bis)
Salpicando de beleza
O carnaval desta cidade

1996

ENREDO: Um Carnaval dos Carnavais - A folia no mundo
AUTOR(ES): Billy Boy, César Reis e Élio Sabino

Pelos quatro cantos desse mundo
Porto da Pedra faz um grande carnaval

Do Brasil até a China
Pierrôs e colombinas (bis)
Numa festa genial, que legal

Ganhei colar de rosas
Nova Orleans, teu carnaval te fez famosa
Que felicidade, que alegria
Salve Rei Zulu, rei da folia
Na Bolívia cheguei, a diablada brinquei
Garimpando era tudo o que eu queria
Em Bonn, o alemão põe pra quebrar
Bebe cerveja sete dias sem parar

Eu quero é mais, eu quero é mais
O combustível da ilusão me satisfaz (bis)

Pelos canais de Veneza
A máscara de seda eu usei
Saudei o leão, sua alteza
E o carnaval de Nice eu fui pra ver
Vieram flores lhe oferecer
E, assim, na magia das cores
No rufar dos tambores
Dragões, serpentes, piratas
Rei Momo abre as portas do meu Rio
Que sempre faz um carnaval dos carnavais

Endiablado eu tô, eu tô, eu tô
E vou sacudir, eu vou, eu vou (bis)
Nas garras do Tigre
Se ligue eu vou deixar cair

1997

ENREDO: No reino da folia, cada louco com sua mania
AUTOR(ES): Vadinho, Carlinho e Pinto

Outra vez
O Tigre mostra as garras na avenida
E doido pra ganhar o carnaval
Faz parecer bem natural
A loucura desta vida
Nem todos que aqui estão são loucos
Nem todos que são loucos aqui estão
Neste reino da insanidade
A teimosia e a vaidade dão as mãos
E Dona Maria, primeira até no nome
Há de encontrar Napoleão
Assombrando a ópera em Paris
Um compositor fantasma condenado à solidão
O mal que era apenas aparente
Foi tomando a sua mente
Fruto do destino e da discriminação
Feito o galante Dom Quixote
Que a loucura idealista fez lutar a té a morte

Raul, maluco beleza
Há dez mil anos atrás (bis)
Já dava adeus à tristeza
Pregando o amor e a paz

Menino maluquinho pela idade
Do cinema até é tema, louca é toda criança
Nijinski, bailarino incomparável
Com certeza incurável na loucura pela dança
Tão louco quanto Bispo do Rosário
Fez do mundo um inventário para doar ao criador
Eu vi sair de um pavilhão em São Gonçalo
Loucuras vindas de imaginários
Tão loucos quanto a gente já cantou

Eu canto, eu pinto, eu bordo
Sapucaí é a tela (bis)
Porto da Pedra enlouquece a passarela

1998

ENREDO: Samba no pé e mãos ao alto, isto é um assalto!
AUTOR(ES): Índio do Império, Tião Telles, Paulo Roberto e Jorge Dodi

Alô rapaziada
A vida é uma longa caminhada
Se afaste do caminho da ilusão
Quem entrar na contramão
Pode nunca mais voltar (oi)
Um viva à liberdade
E paz no coração
Meu tigre é só amor
Mas sem razão caiu na prisão

Foi condenado por querer ser campeão (bis)

O culpado fez o bem
O inocente o mal (bis)
Todo mundo é jurado
Neste carnaval

Na Grécia antiga
Hermes já sabia subornar
Então se liga
Tem sempre um Casanova pra "azarar"
Tem Robin Hood, mas sem virtudes
Ninguém confirma quem raptou
As cebolinhas tem boi na linha (oi)
Cuidado com o trem pagador

Vamos acender a luz, é pra já
Vida de maracutaia, não, não dá (bis)
Para ter felicidade não precisa assaltar
Porto da Pedra está aí pra te "levar"

1999

ENREDO: E na farofa do confete tem limão, tem serpentina...
AUTOR(ES): Osvaldo Barba, Manoelzinho Madrugada, Evaldo, Aloísio, Heron, Laudelino, Soares e Helvecio Sabiá

Veio de uma Europa inconstante
A guerra predominante
Expulsou a realeza (que navegou)
Que navegou na incerteza do destino
Chega ao meu país menino
Reinado pela beleza (Terra Brasil)
Ô Terra Brasil anfitrião de várias raças
Onde o limão serviu de graça
Nas brincadeiras do entrudo
Nessa alegria popular
O Zé Pereira vai passar

Nesta farofa eu vou
Lançar perfume, amor (bis)
Jogas confetes nesta festa que ficou

O carnaval da "burguesia"
Discriminando assim os foliões
Ranchos e sociedades
Tomam conta da cidade
Lá se foram os cordões
Mas o morro resistiu
E no samba fez escola
E o toque do artista
Ao mundo encantou
E a minha escola tão linda
Encanta nesta festa multicor

Bate forte coração (é só paixão)
Porto da Pedra me alucina (que emoção) (bis)
E na farofa do confete
Tem limão, tem serpentina

2000

ENREDO: Ordem, progresso, amor e folia no milênio da fantasia
AUTOR(ES): Silvão, Ricardo Goés, Ronaldo Soares, Chocolate e Fernando de Lima

Brilhou no céu
O ideal da liberdade
O país querendo ser feliz
Sonhou com a igualdade
Mas, sem união e amor
Não dá pra melhorar
Os republicanos buscaram na França
Idéias pro Brasil mudar
E sem se importar
Com o apoio do povo
Poder queriam conquistar

Ordem e progresso tem que produzir
A união e fé (com muita fé) (bis)
Mas sem amor não vai construir
A integração que quer

O povo fez-se independente, "caminhou"
Com muito amor fez a folia
E nossa cultura agitou
Se povo e governo pudessem formar
Um elo de amor e paz
Na festa dos 500 anos
Não separar jamais

Sacode a cidade, levante o astral
É o Porto da Pedra neste Carnaval (bis)
Com ordem, progresso, amor e folia
Saudando o milênio, tudo é fantasia

2001

ENREDO: Um sonho possível: crescer e viver agora é lei
AUTOR(ES): Hugo Leal e Flávio Lauria

Hoje o Tigre vem mostrar
O caminho para um mundo bem melhor
Feche os olhos, escute o coração
A infância é a semente, o futuro da nação
Quero ver as criancinhas
Se lambuzando, no mel da vida
Vivendo com carinho e proteção
Sem medo do destino, com saúde e educação
Receita pra formar o cidadão

Brincar de pique, brincar de roda
Amarelinha, soltar pipa e jogar bola (bis)
Esconde-esconde, rodar pião
Vem ser criança nesse mundo de ilusão

E no esporte, a direção para as virtudes
Com a magia do amor
Abraçar nossa infância e juventude
Enquanto há vida, há esperança, sabemos de cor
A criança, nosso bem, nosso valor maior
Crescer e viver, agora é lei
No olhar dos pequeninos
Veja o mundo que sonhei

Um sorriso de criança (ô ô)
O futuro, a esperança (bis)
Que isso tudo vai mudar
Porto da Pedra
Me leva que eu também quero sonhar
(É possível, vamos lá)

2002

ENREDO: Serra acima, rumo à Terra dos Coroados
AUTOR(ES): Evaldo Melodia, Ernesto do Cavaco e Beto Grande

Natureza
Os nativos coroados
Sinais de rica cultura
A densa neblina cobre a mata
O ciclo do ouro ao barroco nos levou
Dom Pedro I
Com essa terra se encantou
O delírio Imperial
Foi herança que ficou

Pedro II, coroado
Jovem ainda se engalana
Depois de se coroar (bis)
É inspirado a criar
A bela cidade Serrana

Major projetou Petrópolis
Colonizada ganha a "Baronesa"
O Palácio de Cristal, onde a Princesa
Realizou o baile da Abolição
Então a República
Traz a burguesia para a mesa
No cassino, luz acesa
E o show vai começar
A Cidade Imperial continua a encantar

Serra Acima
Rumo à terra dos coroados (bis)
Porto da Pedra vem exaltar
E Coroada hoje vai te coroar

2003

ENREDO: Os donos da rua, um jeitinho brasileiro de ser
AUTOR(ES): Jorge Remédio, Paulinho Freitas e Luiz Pessanha

Lá vou eu
Sou bom malandro e sou fã da liberdade
Lá vou eu
Sou o tigrão e sou o dono da cidade
Cada selva tem um rei, cada rei tem sua lei
O Brasil é uma estrada
Nas esquinas da ilusão, na ruas do meu coração
Oi, saravá, meu Pai Ogum, eu peço axé (axé)
Me dá licença "seu" Exu que eu vou na fé
A rua é negra, como é negra a escravidão
Vou seguindo meu caminho, vou "lavando" a solidão

Quem vai, quem vai, quem vai "querê"
Tem ouro prata e cristal (bis)
Quem tem garrafa pra "vendê"
Tem tudo pra ficar legal

Na avenida Central, passo a passo sorri
Vi meu Rio feliz, eu vi Paris
Vi sujeira, vi ratos, ratoeiras
Hoje vou pra Lapa detonar, vou pra Lapa grafitar
Minha tribo rasga o pano
Sou profano, mas olho lá pro céu
Nas "Ruas de Babel" peço a Deus para me ajudar

Eu sou Porto da Pedra
Faço anjo sambar, eu quero é mais (bis)
Quero ser querubim
Vem pra noite brincar
Vem que o bicho vai pegar

2004

ENREDO: Sou Tigre, Sou Porto, da Pedra à Internet – Mensageiro da história da vida do leva-e-traz
AUTOR(ES): Jorge Remédio, Paulinho Freitas e Luiz Pessanha

Eu sou o Tigre e me embalei nesta viagem, vem amor
Você é meu porto, da pedra te enviei
A mensagem que agora vou revelar
Esta história que é nossa e também da humanidade
Sinalizando os meus versos volto onde tudo começou
Eu fui a voz das antigas civilizações
Fui escrita em argila, em pedra, modelo de papel
Andei (andei, andei) em bigas milenares
Em "Cursos Publicus" comuniquei

Eu vou voar, vou levar pra lá
E trazer pra cá, em poesia (bis)
Senhores e brasões engalanados
Vou conquistar seu coração nesta folia

Terra à vista, com tanto verde na beleza me inspirei
Num poema de Caminha revelei a Portugal
A descoberta de um paraíso tropical
No sorriso largo de um moleque, fui recado
O escravo me serviu
Num grito forte anunciei a liberdade do Brasil
Sou popular onde quer que eu vá
Estou na terra, tô no água, tô no ar
Estou na boa, antenado, é carnaval.
Sou mensageiro, tô no mundo digital

Alegria, estou na rede, vou pro espaço sideral
Sou Porto da Pedra, levando emoção (bis)
Deixando um beijo no seu coração

2005

 

Enredo: Carnaval - Festa Profana
Autores: J. Brito, Bujão e Franco

O rei mandô cair dentro da folia
E lá vou eu (bis)
O sol que brilha nessa noite vem da Ilha
Lindo sonho que é só meu

Vem, vem amor
Na poesia vem rimar sem dor
Na fantasia, vem colorir
Que a vida tem mais cor
Vem na magia
Me beija nesse mar de amor
Vem, me abraça mais
Que eu quero é mais
O teu coração

Eu vou tomar um porre de felicidade
Vou sacudir, eu vou zoar toda cidade (bis)

Eh, Boi Ápis
Lá no Egito, festa de Ísis
Eh, Deus Baco, bebe sem mágoa
Você pensa que esse vinho é água
É primavera
Na lei de Roma, a alegria é que impera
Oh, que beleza
Máscara negra lá no baile de Veneza

Oi joga água que é de cheiro
Confete e serpentina (bis)
Lança perfume no cangote da menina

2006

Enredo: Bendita és tu entre as Mulheres do Brasil
Autores: Vadinho, Bento e Fernando Macaco

Semente lançada à natureza
Fertilidade do ventre abriga
Alimentada na pureza
Dá a luz que reflete em vida
Aura de um espírito divino
Concebida pelo criador
Escolhida, segue seu destino
Mãe protetora
Que nos banha em seu amor

O dom de encantar o mundo
A história em outra direção (bis)
A força e a fé em tudo
Índia, branca ou negra, é sedução

Mulher que fez brotar no meu Brasil
A flor da liberdade
Levou ao chão barreiras, construiu
A igualdade
Artista, obra-prima, poesia
Pintou o samba em cores tão bonitas
O Tigre abraçando o seu talento
Garra, luta e sentimento
Conquistando a avenida

Bendita Mulher
Meu Porto da Pedra explode em prazer (bis)
A essência do universo
É você

2007

Enredo: Preto e Branco à Cores
Autore(s): David Souza, Fábio Costa, Francisco, William e Wagner

Destino a minha vida
Minha luta pela liberdade
A nove filhas de um só coração
Ao Sul do berço da humanidade
O Anjo Invasor me deu a cor, mas cor não tenho
Eu tenho raça e a cada farsa, a cada horror
O meu empenho, meu braço, meu valor
Se ergueu contra o monstro da cobiça
Caveirão da injustiça, filho da segregação
Liberto permanece o pensamento
Ele foi meu alento
Quando o corpo foi prisão

O nosso herói Mandela é
Senhor da fé, clamou o povo (bis)
E o Tigre encontra no Leão
A maior inspiração de um mundo novo

Do gueto, um palco de glória
Corre em meu sangue a história
Num mundo misturado
Matizado com as cores deste chão
Um canto a ser louvado
Ser humano ante a fome e a privação
Museu da Favela Vermelha
Minha alma se espelha na face do irmão
É hoje, vou cantar
Minha gente é o lugar que eu sempre quis
Na Avenida, meu irmão vou abraçar
Viver a igualdade e ser feliz

Liberdade, pelo amor de Deus
Liberdade a este céu azul (bis)
É minha terra, orgulho meu
Porto da Pedra canta a África do Sul

2008

Enredo: 100 anos da Imigração Japonesa no Brasil - tem Pagode no Maru
Compositores: David de Souza, Fábio Costa e Carlos Júnior

Brasil! Abra o leque ao Japão, são 100 anos de imigração
O show vai começar
De São Gonçalo o meu tigre se transforma em torá
Imperador da cultura milenar
No templo dourado a mãe natureza
Sopra o vento da paz, encontro marcado com a sutileza
Há luz, bambus, bonsais
Gira baiana, oh! mãe do samba
Emana cerejeira em flor
Na grande viagem, fé na bagagem
A esperança navegou

O maru cruzou o mar
Lançado à sorte, o braço forte na lavoura trabalhou (bis)
A liberdade cultura viva
Terra querida é luz e cor

O sopro do gênio o fez samurai
Quem foi Manabu? Das artes o pai
Quem dobra o papel com as mãos do céu
Faz do origami pedaço de paz
Vai um sushi saborear
Vi um gato no mangá, o gato é sorte
Vem coração oriental
Vem na era digital me dar suporte
Japão, o sol nascente brilha em cada um de nós
Em azakusa agora explode a minha voz
E a lágrima que cai é de emoção

A verdade que embala o meu coração
É a Porto da Pedra a minha paixão (bis)
Aplausos que o show vai terminar ôô
Me perdoe se eu chorar

2009

Enredo: Não me proíbam criar. Pois preciso curiar! Sou o país do futuro e tenho muito a inventar!
Autore(s): Fábio Costa, David de Souza e André Felix

A luz da imaginação
Acende o coração e o leva a curiar
Buscar o novo é conceber
O tempo do saber, desejo de criar...
É sempre assim, o proibido traz sedução
Do início ao fim, do paraíso a tentação
Meu Tigre mostra as garras nesse jogo
E vê no fogo a chama da evolução
Pandora a esperança e o amor ôôôô
Alquimia do meu ser
Na imagem do meu criador

Um grande painel é arte
Eu traço a pincel meu estandarte (bis)
E lá do céu vem o cinzel da perfeição
Renascimento da inspiração

Como será o amanhã
Que Deus me permita ser só alegria
Aos cavalheiros da destruição
Venha a paz e a razão
Redenção na folia
O homem sonhou e um dia voou
Do gênio indomável uma nova invenção
Criança um Brasil de esperança
O mundo precisa desta salvação

Sou Porto da Pedra e não vou me calar
Eu sou curioso e quero saber (bis)
Se é bom para o mundo, se vai melhorar
É proibido por quê?

2010

Enredo: Com que roupa eu vou? Pro samba que você me convidou
Compositores: Bira, Porkinho e Heitor Costa

Sonhar o figurino do artista
Acreditar nesta conquista, pra vaidade cultivar
Há muito tempo o homem deu no couro
Encontrou esse tesouro
De roupa resolveu chamar
Mas eis que o objeto do desejo
Na magia do lampejo, se aproximou de Deus
O tempo é uma roda que não para
Quando a razão se fez mais clara
A humanidade renasceu

Eu sei que a arte caminhou
Modéstia à parte encontrou (bis)
Na moda a luz da emoção
Em cada estilo uma expressão

Sou o cortesão da minha arte
Eu sou rococó dessa folia
Ao vestir simplicidade
O novo mundo inicia
Mudar o visual em cada estação
Modelo, sonho, nova coleção
Ao desfilar o carnaval
Na passarela a brasilidade
Beleza é fundamental, perdoe a sinceridade

Porto da pedra eu sou
Eu sou o amor desta cidade! (bis)
Pro samba que você me convidou
Eu vou vestir felicidade

2011

Enredo: O Sonho sempre vem pra quem Sonhar...
Autores: Bira, Robinho, Porkinho e Diego Ferreiro

Um pedaço de papel
Pano, cores, ilusão
Vai girando o carrossel
Nas asas da imaginação
Clara, "a menina dos meus sonhos"
Criadora do impossível, sonhadora feito eu
Em tudo que ela escreveu
Um aprendiz de feiticeiro a formular o amor
E a princesa recebeu a flor
A fera foi pra outra dimensão
Amigo de Deus, Noé entendeu
O mundo em transformação

A bruxa boa vem aí, eu quero ver!
O saboroso elixir, eu vou provar! (bis) 
No vento vendaval da liberdade,
Um samba de verdade vai passar

Quem não sonhou jamais amou
Não sabe o que é se libertar
Não viu o trem, nem o colar...
O sonho sempre vem pra quem sonhar!
Vai, vai, vai, vai vence logo esse medo
"Prega uma peça" à esperança...
Vem no galope o corcel, feito azul do céu
E a magia da criança
Em busca da alegria, seu poder de encantar
Criando sonhos, recriando a fantasia a brincar

No Tablado consagrando a criação
É arte, vida em transformação (bis) 
Meu Tigre chegou, aplausos no ar
É Clara que me faz sonhar!

2012

Enredo: Da seiva materna ao equilíbrio da vida
Compositores: Vadinho, Fernando Macaco, Tião Califórnia, Cici Maravilha, Bento, Denil e Oscar Bessa

Poema à vida e ao seio jorrando amor
A seiva materna
Meu Porto da Pedra alimentou
Hera gera o caminho das estrelas
Mãe loba amamentou o grande império
Mistério no deserto da solidão
O mercador viu a transformação
Do leite em primeira iguaria
A fé se envolveu e foi saborear
Na história, a humanidade vive a cultuar
A dádiva que fez o animal sagrado
Fermentou fartura e saber
Fonte rica de prazer

No calor dessa receita, deixa provar
A combinação perfeita ao paladar (bis)
A essência é derivada da mistura dos sabores
É no mel que se adoça a magia dessas cores

Seguiu o alimento vencendo batalhas
Esse doce sabor pelo mundo
Com o tempo rompendo muralhas
Brilhou à luz da civilização
Pelos mares navegou
Embalando a evolução
Leveza, o equilíbrio se traduz em beleza
Do dia a dia me refaz
Iogurte é leite, tem saúde e muito mais

Vem no ritmo do tigre de São Gonçalo
Alimenta seu povo apaixonado (bis)
Cada porção traz um cuidado especial
Para o deleite e a emoção no carnaval