PRINCIPAL    EQUIPE    LIVRO DE VISITAS    LINKS    ARQUIVO DE ATUALIZAÇÕES    ARQUIVO DE COLUNAS    CONTATO

EMBAIXADORES DO SAMBA

IMPERATRIZ NORDESTINA

PRESIDENTE Alexandre Rodrigues Caitano
VICE-PRESIDENTE Charlton Júnior
CARNAVALESCO Pedro Duttra
INTÉRPRETE Raphael Gravino
CORES  Verde e Branco
FUNDAÇÃO 25/12/2015
CIDADE-SEDE Mossoró-RN
SÍMBOLO Coroa
FACEBOOK Link

Fundada em 25 de dezembro de 2015, por um grupo de amigos ligados ao samba, sob o nome de Sociedade Virtual Escolas de Samba, popularmente conhecida como SVES. Diante de reivindicações e conselhos, a diretoria da escola, nas pessoas do presidente, Alexandre Rodrigues; de seu braço direito, o diretor de carnaval, Charlton Júnior, e o carnavalesco Everton Santana, decidiu-se modificar o nome da escola de samba virtual. Diante disso, surgiu um impasse: qual seria o novo nome da escola? Pensamos, pensamos, até que surgiu a ideia de, já que a Escola é constituída majoritariamente por pessoas de sangue e residência nordestina, exaltar esta região que tanto amamos e nos orgulhamos. Surge, aí, uma escola que vem para, além de exaltar a cultura, como é, foi e sempre será a nossa proposta primária, levar, até no nome da agremiação, um título de grandeza para o nosso torrão sagrado.

O Dinossauro que outrora estrelava o nosso pavilhão, recebe uma coroa, coroa esta que passa assumir primeiro plano do pavilhão. O dinossauro dá lugar a coroa. Ao redor da coroa, as palmas, representando a vegetação típica da caatinga/semi-árido, que compõe grande parte da vegetação nordestina. As cores verde e branco permanecem e o brilho da estrela, representa o nosso primeiro título, conquistado recentemente (2017).

A SVES, a partir de agora, atende pelo nome de Sociedade Virtual Imperatriz Nordestina! Fundada como Sociedade Virtual Escolas de Samba, obteve seu primeiro acesso em 2017 conquistando o campeonato do Grupo B. Depois do Carnaval Virtual, mudou seu nome para Imperatriz Nordestina. Com a nova denominação, conquistou a vaga no Grupo Especial com o vice-campeonato. Na estreia na elite, ficou em oitavo.


Ano

Enredo

Colocação

2019 O Poder Mariano - A Fé no Feminino! De Todas as Línguas, Maria, Mãe da América Latina 8º (Especial)
2018 Hoje é dia de Samba. Hoje é dia de Maria – A Saga da Imperatriz Nordestina 2º (A)
2017 Bem-Vindos à Estrada Real 1º (B)
2016 Amigo, hoje a minha inspiração se ligou em você, em forma de samba mandou lhe dizer não desfilou

SINOPSE ENREDO 2019

O Poder Mariano - A Fé no Feminino! De Todas as Línguas, Maria, Mãe da América Latina

Introdução

“Mãe do Céu Morena
Senhora da América Latina
De olhar e caridade tão divina
De cor igual à cor de tantas raças”
(Padre Zezinho)

1º Setor – O “Poder Mariano”

A Virgem Maria, foi precursora no mundo, afinal quem aceitaria como missão ser mãe solteira em uma sociedade onde as mulheres eram apedrejadas, com o propósito de ser a genitora de Jesus? Esse é o próprio “Poder Mariano”, invocado por todas as Marias, abandonadas por seus parceiros e com a bênção/incumbência de seguir a vida mostrando os melhores caminhos para os seus filhos! Em toda a América Latina, a mãe tem um peso maior na família, e a mãe é representada pela Virgem Maria. É a fé na Virgem, que restaura a alma e enche a vida de todas de esperança.

2º Setor – Em Cuba: A Virgem da Caridade

“Ven con nosotros a caminhar, Santa María, vem...”. Nossa Senhora da Caridade do Cobre, ou Virgem da Caridade é a Padroeira de Cuba. Um país que tem enraizado em sua essência o mais puro machismo, a fé na Santa Maria, faz com que preconceitos e tabus sejam findados, e nomes como “José Maria” sejam mais presentes que o comum. A Virgem da Caridade, de fato, é o resumo do povo cubano, um povo de muitas raças e principalmente muitas crenças, prova disto está no sincretismo da Virgem com Oxum, em um processo que veio com os Escravos que entraram em Cuba e nos rituais realizados pelos índios que roubavam a sua imagem à noite e só devolviam no outro dia de manhã.

3º Setor – No Perú: Rosário de Talpa

“¿No sabes que es la Virgen del Rosario de Talpa?”, no Perú, também há uma forte influência da Santa, no qual era associada a Mama Pacha, pois assim como a natureza, ela que recebe a semente, produz, gera a vida, e transborda amor. A imagem de Rosário tem tanto poder, que a Santa é vista como um “espelho” e o povo peruano como costume esfrega algodões no andor, para tratar enfermidades. Como forma de agradecimento e devoção a população oferece à Virgem um “banquete de alegria”, muitos fogos de artifícios e pétalas de rosas, saúdam Rosário.

4º Setor – Em Nicarágua: Nossa Senhora La Puríssima

Nicarágua. Um país “abandonado de pai”, com muitas “Marias” solteiras, que faziam com que as filhas das “Marias” entrassem em uma loucura ideológica e renunciassem a sua vida, em busca de um destino, ser freiras. La Puríssima, como era chamada pelos nicaraguenses, foi colocada por alguns como uma aberração histórica, a imagem de Maria confrontava com a história, pois, com o seu manto azul (digna de europeia) e um rosto muito formoso, não representava as “Marias” da região, todas elas camponesas, cheias de filhos e sobretudo feias. “Hoy es día de la gritería de la Purissima!”, a população que inversamente a igreja, armam altares com a imagem de Maria e oferecem refrigerantes, chocolates, balas para todas que respondessem “¿Qué le causa tanta alegría?.

5º Setor – No México: Virgem de Guadalupe

No México, Guadalupe. Povo de muitas crenças, e principalmente alegria, na véspera já entoam a “la mañanita” para celebrar o dia da Guadalupe. As ruas se enchem de flores, chegam os mariachis, os músicos, é tudo muito colorido. O culto à Guadalupe, é um culto sincrético, os Espanhóis fizeram um templo em cima do espaço sagrado, onde os índios veneravam a Tonantsin (a mão dos Deuses), e após a aparição de Maria, eles reconheceram que ela efetivamente era Tonantsin, desde então passou a cultuar Guadalupe.

6º Setor – No Brasil – A Nossa Senhora de Aparecida

No Brasil, Nossa Senhora de Aparecida. A Maria que uma multidão muitas vezes caminha quilômetros, se organiza em filas, para admirar a beleza de sua imagem e chega ao lugar tão esperado, o Colo da Vossa Mãe. Sentem-se tão felizes, que não conseguem segurar as lágrimas, fecham os olhos e a ouvi dizer: “Meu filho, Eu, a Sua Mãe sempre te esperei. Rogo a Deus incessantemente pelos meus filhos no mundo inteiro, sobretudo pelo povo brasileiro e da América Latina. Eu sou a Mãe do Caridade, do Rosário, Puríssima, de Guadalupe e de tantos outros títulos... Eu, a Virgem Maria, sou a Mãe da América Latina.”