PRINCIPAL    EQUIPE    LIVRO DE VISITAS    LINKS    ARQUIVO DE ATUALIZAÇÕES    ARQUIVO DE COLUNAS    CONTATO

LUCAS DONATO

LUCAS DONATO

       

    

    Nome completo: Lucas da Silva Donato

        '

    Ano de nascimento: 1995

'

            

 

 

       

                                                                   

A escola de samba Império Serrano faz jus ao epíteto de “celeiro de bambas”, tamanha a capacidade de ver, surgir e renovar seu quadro de sambistas. Inicialmente revelação, o jovem Lucas Donato passou a ser uma realidade dentro do mundo do samba com um currículo precoce e já invejável.

Senão, vejamos: o garoto estreou na ala de compositores do Império Serrano com 15 anos de idade. Sim, quinze anos! Aos vinte e dois já era tetracampeão em uma escola que gerou autores do quilate de Arlindo Cruz, Aluísio Machado, Beto Sem Braço, Mano Décio da Viola, Dona Ivone Lara e o maior deles, Silas de Oliveira.

Entretanto, Lucas teve (e ainda tem) que lutar contra o preconceito dos veteranos com os compositores mais novos. “Na primeira vez que fui inscrever um samba no Império Serrano, para o carnaval de 2012, quando estava buscando a sinopse, um dos diretores me olhou rindo e disse: ‘Você? Colocar samba?’. Eu respondi, cheio de vergonha, que sim”, conta.

Aos 22 anos, Lucas já emplacou sambas em 15 ocasiões diferentes, entre escolas mirins, do Grupo B, da Série A e também do Especial, pela Grande Rio (2015). Também já venceu no carnaval paulistano.

Sua história no samba vem de família, pois em suas veias corre sangue verde e branco. Lucas é neto do sambista Jorge Lucas – compositor quatro vezes campeão no Império e ex-presidente da ala de compositores – e sobrinho do grande cantor e compositor Roberto Ribeiro.

Lucas Donato estreou no carnaval em 2004 na ala das crianças do Império Serrano, onde desfilou até 2007. Em 2008, ingressou na mítica bateria Sinfônica e atuou como ritmista até o ano de 2012. Neste mesmo ano, o rapaz compôs seu primeiro samba enredo para o Império Serrano e já foi finalista. E logo a seguir, veio a sequência de vitórias, quando emplacou quatro sambas consecutivos, tornando-se tetracampeão no Reizinho de Madureira.

Lucas acalentava o sonho de ser mestre-sala. Mas, se por um lado o carnaval perdeu um beija-flor cortejador, por outro, a folia ganhou, além de um compositor, um intérprete. “Passei por diversas escolas tradicionais mirins e adultas como apoio do carro de som, dentre elas: Império do Futuro, Filhos da Águia, Estrelinha da Mocidade, Aprendizes do Salgueiro, Infantes do Lins. Nas escolas ‘adultas’, cantei na Tradição, Tuiuti e Império Serrano. Em 2014 fui interprete oficial do Arranco de Engenho de Dentro, no Grupo B, cantando o samba 'Acqua Vitae, Ignis Dei! Água da vida, fogo de fé... São Lourenço, nosso guia!'. Na ocasião ganhou o prêmio Elite do Samba como Revelação do carnaval daquele ano”, explica.

O ano de 2015 foi muito especial: Lucas foi oficializado como um dos interpretes do Império Serrano ao lado de Bico Doce, Arlindo Neto e Alex Ribeiro. No entanto, se afastou após gravar o samba no CD, não chegando nem a desfilar pela escola na avenida. Naquele ano, o rapaz teve três obras de sua autoria entoadas na avenida: na Série A com o próprio Império, na Tom Maior (SP) e no Grupo Especial com a Grande Rio. Nas categorias de base do carnaval, o jovem “cantautor” conquistou dois prêmios consecutivos de Melhor Samba Enredo Mirim e também já possui em sua estande o cobiçado Sambanet, de Melhor Samba Enredo da Série A em 2015.

Desde 2015, Lucas faz parte do carro de som da Grande Rio, sendo apoio de Emerson Dias. Em 2016, foi contratado pela Acadêmicos do Engenho da Rainha, sendo microfone número 1 da escola desde então.

Lucas Donato explica que suas influências para compor são o tio Roberto Ribeiro, o parceiro e mentor Arlindo Cruz, e cita também uma galera de amigos, jovens que nem ele, que são seus parceiros de samba: Rafael Santos, Rodrigo Moreira, Leandro Canavarro, Gabriel Sorriso e Gustavo Soares.

 
INÍCIO: Império Serrano, ala das crianças (2004). Como intérprete, na escola de samba mirim Império do Futuro.
2013 e 2014 – Tradição (apoio de Marquinhos Silva)
2014 – Paraíso do Tuiuti (apoio de Daniel Silva)
2014 – Império Serrano (apoio de Clóvis Pê)
2014 – Arranco de Engenho de Dentro (voz principal)
2015 – Império Serrano (gravou o samba no CD como intérprete oficial, juntamente com Bico Doce, Arlindo Neto e Alex Ribeiro, mas não cantou na avenida)
Desde 2015 – Grande Rio (apoio de Emerson Dias)
2017 – Acadêmicos do Engenho da Rainha (com Igor Pitta)
2018 – Acadêmicos do Engenho da Rainha (voz principal)

GRITO DE GUERRA: Alô (diz o nome da escola)! Sente o cliiiimaaaa!

CACOS CARACTERÍSTICOS: “o couro vai comer, o bicho vai pegar”; “vamos tirar onda”; “eu quero ver minha comunidade”; “vambora, vambora, vambora, vambora”; “ah é, então tá...é tudo com a gente!”

SAMBAS DE SUA AUTORIA: “Poema aos peregrinos da fé” (Império Serrano/2015, com Arlindo Cruz, Arlindo Neto, Alex Ribeiro, Rogê, Carlos Senna, Beto BR, Andinho Samara, Zé Glória, Wagner Rogério, Chico Matos, Ronaldo Nunes e Léo Guimarães); “A Grande Rio é do baralho!” (Grande Rio/2015, com Rafael Santos, Gabriel Sorriso, Leandro Canavarro e Rodrigo Moreira); “Adrenalina” (Tom Maior/2015, com Rafa do Cavaco, Imperial, Tião, Gabriel Sorriso e Rafael Santos); “Silas canta Serrinha” (Império Serrano/2016, com Arlindo Cruz, Aloísio Machado, Arlindo Neto, Zé Gloria, Andinho Samara e Ronaldo Nunes); “Meu quintal é maior do que o mundo” (Império Serrano/2017, com Tico do Gato, Andinho Samara, Victor Rangel, Jefferson Oliveira, Ronaldo Nunes, André do Posto 7, Vagner Silva, Vinicius Ferreira, Rafael Gigante e Totonho); “O Lago dos Cisnes” (Tradição/2017, com Lequinho da Mangueira, Fadico, Gabriel Martins, Zé Luiz Escafura e Igor Leal);“Zé Keti, a voz do morro sou eu mesmo sim senhor” (Acadêmicos do Engenho da Rainha/2017, com Júnior Fionda, Lequinho, Igor Pitta, Igor Leal, Gabriel Martins, Girão, Neyzinho do Cavaco e Miranda do Engenho); “Roberto Ribeiro, o Menino Rei!” (Unidos da Ponte/2017, com Alex Ribeiro, Tuninho Nascimento, Helio Oliveira, LM, Dinho e Grey); “O samba não tem fronteiras, o Favo de Acari conta a história dos bambas da Mangueira” (Favo de Acari/2017, com Vitor Cezar); “O Menino de 47: Um Império de glórias” (Paracambi Imperial/2017 – Carnaval Virtual); “O Império do Samba na Rota da China” (Império Serrano/2018, com Tico do Gato, Chupeta, Henrique Hoffmann, Arlindinho, Andinho Samara, Victor Rangel, Jefferson Oliveira, Ronaldo Nunes e André do Posto 7); “Romance de Xangô, a dança do fogo” (Unidos da Ponte/2018, com Alex Ribeiro, Tuninho Nascimento, Helio Oliveira, LM, Dinho, Grey, Professor Laranjo, Sidney de Pilares e Jorginho Moreira); “Deixa Falar: o que é que há! Academia do Samba – Hoje sou Estácio de Sá” (Engenho da Rainha/2018, com Helio Oliveira, Leandro Canavarro, Gabriel Sorriso, Rodrigo Moreira, Antônio Gonzaga e Jorge Lucas); “Ixé Aruana – O triunfo da criação” (Imperadores do Sol/2018 – Uruguaiana, com Gabriel Simões, Gustavo Dias, Matheus Machado, Mateus Pranto, Maykon Rodrigues, Millena Wainer, Rafael Faustino e Raphael Gravino).

DISCOGRAFIA:
Sambas Enredo Grupo A 2015 (faixa Império Serrano)
Sambas Enredo Grupo B 2017 (faixa Acadêmicos Engenho da Rainha)

PRÊMIOS:
- Elite do Samba 2014 (Revelação do Carnaval)
- Melhor Samba Enredo Escola Mirim 2013 (Pimpolhos da Grande Rio)
- Melhor Samba Enredo Escola Mirims 2014 (Aprendizes do Salgueiro)
- Sambanet Melhor Samba Enredo Série A 2015 (Império Serrano)

SAMBAS NAS ESCOLAS MIRIM:
- Aprendizes do Salgueiro 2014
- Infantes do Lins 2014
- Mangueira do Amanhã 2014
- Pimpolhos da Grande Rio 2013 e 2014

MAIS FOTOS DE LUCAS DONATO






Lucas e Igor Pitta (à esq, de branco) na Intendente, puxando o samba do Engenho da Rainha em 2017


Lucas e seu primo Alex Ribeiro, filho de Roberto Ribeiro, compositores do samba da Unidos da Ponte de 2017 em homenagem ao saudoso sambista


Em 2014, no desfile do Arranco na Intendente: estreiando como intérprete principal em escola "adulta"


Lucas (à direita), como cantor de apoio de Clóvis Pê no desfile do Império em 2014


Na concentração para o desfile da Tradição em 2013, entre a repórter da TV Globo e o  compositor David Corrêa, um dos autores do samba "Das maravilhas do mar, fez-se o esplendor de uma noite", que a Portela desfilou em 1981 e a escola do Campinho reeditou


Lucas à direita do intérprete Marquinhos Silva (de branco), no desfile da Tradição em 2013


Na entrega do Prêmio Sambanet de Melhor Samba Enredo de 2015, com o Império Serrano


Com apenas 22 anos de idade, Lucas já é tetracampeão de samba no Império Serrano


Desde 2015, Lucas (na extrema-direita) integra o carro de som da Grande Rio, como apoio de Emerson Dias (em primeiro plano)


Voltar à seção Intérpretes